Design sem nome (16).png
 

leitura de

portfólios

Leitoras e leitor

para leitura no dia 22 de 14h as 18h:

As inscrições estão encerradas. Agradecemos pelo seu interesse. Em breve anunciaremos os portfólios selecionados.

 SELECIONADAS -  clique aqui  para ver a lista

ALDEIDE delgado /cuba

aldeide_delgado.photo.francisco_maso.jpg

Aldeide Delgado é fundadora e diretora do Women Photographers International Archive*  (WOPHA). Trata-se de uma organização para pesquisar, promover, apoiar e educar sobre o papel da mulher e aquelas que se identificam como mulheres na fotografia. Ela é a autora do arquivo online Catálogo de Fotógrafas Cubanas e também do livro sob o mesmo título. Ela tem experiência em consultoria e apresentações em fóruns de história da arte dedicados à fotografia, incluindo palestras na Tate Modern, Pérez Art Museum Miami, CalArts e The New School.

*Arquivo Internacional de Fotógrafas


Foto: Francisco Maso

ANA CASAS BRODA/ ESPANHA-MÉXICO

Ana Casas Broda.jpg

Ana Casas Broda (Granada, Espanha, 1965) De mãe austríaca e pai espanhol. Vive no México desde 1974. Estudou fotografia, pintura e história, dedicando-se à fotografia desde 1983. O seu trabalho centra-se na memória e na identidade através da exploração da experiência, do corpo e das ações. Publicou os fotolivros Álbum, Mestizo, 2000, e Kinderwunsch, 2013 La Fábrica, co-publicado com a Fundación Televisa e Hydra. Kinderwunsch recebeu o segundo prêmio de melhor livro editado de Arte de 2013 do Ministério da Educação, Cultura e Esportes da Espanha e foi nomeado para o prêmio DEUTSCHE BÖRSE 2015. O álbum foi exibido em vários locais no México, PHotoEspaña 2002, Áustria, Centro de la Imagen, México, entre muitos outros. Kinderwunsch foi exibido em exposições individuais desde 2014 em locais como: Centre des Beaux-Arts, BOZAR Festival, Bruxelas, Bélgica, PHotoEspaña Festival 2015; Fotohof, Salzburg, Áustria, Museu Regional de Querétaro, México 2017, Museu da Cidade do México 2018, Universidade de Guanajuato, 2020. Bem como em vários coletivos, entre os quais estão: a exposição e o livro HOME TRUTHS - MOTHERHOOD, PHOTOGRAPHY AND IDENTITY*, com curadoria de Susan de Bright. Desde 1990 se dedica à organização de atividades de fotografia, como programas de estudos, seminários, workshops, reuniões, conferências. Ministra workshops, leituras de portfólio, conferências, colóquios e reuniões em diferentes lugares do mundo. Em 2012 fundou a HYDRA com Gabriela González Reyes e Gerardo Montiel Klint, uma plataforma para gerar projetos relacionados ao meio fotográfico, como exposições, publicações, um programa educacional e outras atividades. Em 2016 criou a INCUBADORA DE FOTOLIBROS, um programa Hydra com três edições, onde os autores desenvolvem os seus photobooks com o aconselhamento de editores e designers nacionais e estrangeiros. Em 2018 fundou o INFRAMUNDO, projeto editorial da Hydra, publicando 24 fotolivros em 2018, 4 em 2019 e em 2021 MICTLÁN de Joan Fontcuberta. Esses photobooks foram apresentados em feiras nacionais e internacionais e foram indicados para importantes prêmios.

*Verdades de Casa - Maternidade, Fotografia e Identidade

ANDREA JöSCH /chile

ANDREA JOSCH KROTKI.jpg

Andrea Jösch [Chile] é uma das leitoras de portfólios do I Festival de Fotógrafas Latinoamericanas.

Andrea Jösch Krotki (Arica, 1973) Fotógrafa, Mestre em Gestão Cultural, Universidade do Chile. Diretora do Mestrado em Pesquisa - Criação de Imagens e coordenadora de Pesquisa e Criação Artística da Faculdade de Letras da Universidade Finis Terrae. Fundadora e editora da revista de fotografia sul-americana Sueño de la Razón (desde 2009). Professora, editora e pesquisadora em questões de fotografia e imagem. Atualmente é curadora convidada do 2º festival de fotografia MUFF (2020-2021) do Centro de Fotografia de Montevidéu, CdF.

Camila Fialho/Brasil

CamilaFialho_retrato.jpg

Camila Fialho, Porto Alegre/RS, 1980. Radicada em Belém desde 2014, é artista, curadora e gestora cultural. Colaboradora da Associação Fotoativa, onde agora está à presidência, é membro do Núcleo de Pesquisa de Documentação vinculado ao acervo da entidade. Formada em Letras e Mestre em Literatura Francesa pela UFRGS, tem especialização em Práticas Curatoriais e Gestão Cultural pela Faculdade Santa Marcelina (São Paulo/SP). Suas pesquisas abarcam reflexões sobre deslocamento, território, modos de exploração, memória, tensões entre palavra e imagem, publicações independentes, práticas colaborativas e gestão em espaços híbridos independentes.

 

Foto: Ana Letícia Fialho

IOANA MELLO /brasil

ioanamello_low.jpg

Ioana Mello [Brasil] é uma das leitoras de portfólios do I Festival de Fotógrafas Latinoamericanas.
Formada em comunicação, tem mestrado em história da arte pela PUC-Rio e em estética e história da fotografia pela Sorbonne, além de um MBA em mercado de arte pela Sotheby’s. Atualmente é curadora independente entre o Brasil e a Europa. Em 2018, organizou duas projeções e debates em Paris durante o Paris Photo 2018 na Galeria “Art et Photos” e no centro cultural “Mains d'oeuvres” durante o festival “Un cri d'amour pour le Brésil”. Foi curadora da exposição coletiva "What’s going on in Brazil? ", durante o festival Rencontres d'Arles, na França, em 2019. Fez parte do júri do Prêmio Alliance Française Web Photo, foi professora na PUC-Rio e colabora com o coletivo Iandé em Paris. Faz parte da equipe de coordenação do festival FotoRio desde 2015, escreve para sites e revistas, como as francesas Fisheye e Wedemain, e no momento está com dois projetos de livros em andamento.

Foto: Nana Moraes

Joana mazza /brasil

joana.jpg

Pesquisadora, curadora, produtora cultural e fotógrafa. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós-Graduação Estudos Contemporâneos das Artes (UFF-Brasil), colabora com o Grupo de Pesquisa: `Y´nterfluxes, coordenado pelo Professor Luiz Guilherme Vergara nesta mesma instituição, e, integra o Posthuman Latin-American Network. Mazza é mestra em Arte, Pensamento e Cultura Latino Americana pelo Instituto de Estudos Avançados (Universidade de Santiago do Chile). Formada em Pintura pela Escola de Belas Artes (UFRJ) e pós-graduada em Fotografia como Instrumento de Pesquisa nas Ciências Sociais (Universidade Candido Mendes). Entre suas principais atividades destacam-se a coordenação de exposições do FotoRio (edições de 2003 a 2009), a coordenação do Programa Imagens do Povo (2010 a 2103) compreendendo também a Escola de Fotógrafos Populares de 2012 (Observatório de Favelas), e por fim, assistente de curadoria e direção no MAC de Niterói (2013 a 2015).

JOAQUIM PAIVA /brasil

Portrait Joaquim_Paiva_Guerlain2.jpg

Joaquim Paiva [Brasil] é um dos leitores de portfólios do I Festival de Fotógrafas Latonoamericanas.

Joaquim Paiva, Rio de Janeiro, 1946, Mérito Cultural na Fotografia no Brasil concedido pela RPCFB em dezembro de 2020. Fotógrafo, colecionador de fotografia contemporânea (a maior parte já no MAM-Rio), revisor de portfolios no Brasil e no exterior, faz seus diários autobiográficos, visuais e fotográficos desde 1998. Publicou os fotolivros 1927-1970, em homenagem à sua mãe, Elson faz 70, Farsa Truque Ilusões e Foto na hora: lembrança de Brasília, este publicado pelo Centro de la Imagen na Cidade do México em 2013. Expôs seu trabalho pessoal, entre outros, na MEP em Paris e tem fotografias suas no Museum of Fine Arts Houston e no Museu de Arte do Rio de Janeiro. Residiu em Caracas, Buenos Aires, Lima e Madrid, entre outras capitais. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

Foto: Guerlain

Laura Beltrán /ColÔmbia

@ Jistke Nap (1).jpg

Laura Beltrán Villamizar é autora independente, curadora e diretora de criação na área da fotografia e artes visuais. Atualmente ela é Diretora de Fotografia na Atmos Magazine, uma publicação sobre mudança climática e justiça social. Em 2016, ela fundou a Native, uma plataforma online que promove o trabalho de produtores de imagem de regiões sub-representadas - América Latina, África, Ásia e a diáspora africana.
Laura também foi a Diretora de Digital na fundação World Press Photo, promovendo fotógrafos premiados e fazendo a curadoria de exposições ao redor do mundo.

patricia veloso/brasil

Patricia Veloso 2020_Foto Gentil Barreir

Mestra em Administração de Empresas pela Universidade de Fortaleza (Unifor), é também mestra pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará. Atua no segmento artístico/cultural, desde 1985, como produtora cultural, curadora e editora. Fundou e administra as empresas Terra da Luz Editorial e Imagem Brasil - Galeria e Banco de Imagens. Foi diretora do Festival Encontros de Agosto, iniciativa que aconteceu em Fortaleza/CE de 2011 a 2017, tendo como principal objetivo promover a fotografia cearense e o intercâmbio com a produção contemporânea brasileira e internacional. Em 2018, dá continuidade a este programa com nova proposta, o Verbo Ver Festival de Fotografia, ampliando parcerias e intensificando ações de circulação e formação.
Em sua trajetória profissional, coordena e organiza publicações e exposições de fotógrafos cearenses em importantes centros culturais do país e no exterior. Participou de comissões de seleção e leituras de portfólio em festivais de fotografia nacionais e internacionais. Colaborou na fundação do Instituto de Fotografia do Ceará - IFoto e atualmente compõe a diretoria da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil - RPCFB. Integra o conselho de curadores do Museu da Fotografia de Fortaleza e é também membro da Câmara Cearense do Livro - CCL e da Câmara Brasileira do Livro – CBL.

Leitoras

para leitura no dia 23 de 14h as 18h:

DANIELE QUEIROZ /brasil

daniQueiroz.jpeg

Daniele Queiroz é mestra em Representações e Imaginários pela FAU-USP. Pesquisa a mobilidade das imagens no contemporâneo, através da conexão com a palavra e as diferentes linguagens artísticas. É fundadora do grupo “A história é outra”, que investiga mulheres na história da fotografia, além de co-fundadora do "Lombada", que trata de edição e publicação de trabalhos editoriais no campo fotográfico de forma coletiva.

Atua como curadora-assistente de Fotografia Contemporânea no Instituto Moreira Salles. Em paralelo, sua pesquisa artística investiga o corpo - principalmente o de mulheres - em relações de resistência e sobrevivência.

DENISE CAMARGO /brasil

DeniseCamargo_byMarcioLima_SSA.jpeg

Denise Camargo [Brasil] é uma das leitoras de portfólios do I Festival de Fotógrafas Latinoamericanas.

Artista visual, pesquisadora no campo das artes visuais e da cultura brasileira, é doutora em Artes (IA/Unicamp) e mestre em Ciências da Comunicação (ECA/USP). É docente no Departamento de Artes Visuais (IdA/UnB) e da linha de pesquisa Poéticas Transversais, no Programa de Pós-graduação em Artes Visuais. Realiza estudos, pesquisas artísticas e acadêmicas que envolvem o dispositivo fotográfico, as poéticas e os processos de criação, a fotografia performativa, a imagem e os saberes nas matrizes culturais afro-brasileiras. É gestora de projetos, pelo Ateliê Oju Cultural, onde gesta seu trabalho fotográfico, exposições e curadorias.

Foto: Marcio Lima

FERNANDA GRIGOLIN /brasil

IMG_20200109_114701.jpg

Artista transdisciplinar e doutora em Artes Visuais na Unicamp. Seu último trabalho é o livro Sou Aquela Mulher do Canto Esquerdo do Quadro, uma narrativa encarnada sobre mulheres anarquistas que viveram no Brasil, México e Argentina no século passado. Atua há 20 anos com publicações entre produção, edição, circulação e pesquisa. Edita pela Tenda de Livros e realizou Jornal de Borda (2015 – 2021). Já participou de festivais e exposições no Brasil e no exterior. Recebeu os seguintes prêmios: Funarte Marc Ferrez de Fotografia (2012) e o Proac Livro de Artista (2014), Proac Publicações (2015) e Proac Artes Visuais (2016). Foi uma das indicadas ao Prêmio Pipa em 2020. Vive e trabalha em São Paulo.

isabel gouvea /brasil

Isabel_Gouvea_por_Iris_Dourado.jpeg

Isabel Gouvêa é fotógrafa, mestre em Artes Visuais, curadora, educadora, pesquisadora e gestora de projetos socioculturais. Membro ativo do Movimento FOTOBAHIA entre os anos de 1979 a 1986, organizando e participando de mostras, oficinas e debates. Trabalhou como fotógrafa do inventário para tombamento do Centro Histórico de Salvador pelo Instituto de Patrimônio Histórico da Bahia.
Atuou por 30 anos no setor de Multimeios do Teatro Castro Alves, documentando a programação artística e acompanhando diretamente o Balé do TCA. Realizou nos últimos anos duas grandes mostras individuais, apresentando sua ampla pesquisa fotográfica em importantes centros culturais de Salvador, São Paulo e Brasília. Possui inúmeras obras no acervo do Espaço Pierre Verger da Fotografia Baiana em Salvador.  
Realizou a pesquisa, publicação e curadoria da mostra Design Popular da Bahia, apresentada em Salvador, São Paulo, Barcelona e Milão. Coordenou por 12 anos a Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia de Salvador, onde realizou a coordenação geral dos Projetos: Festas Populares de Salvador e Dois de Julho: Resistência e Identidade Popular na Bahia e a curadoria das exposições, apresentadas em Centros Culturais de Salvador, Cachoeira, Barcelona e New Orleans. 

Foto: Iris Dourado

LORENA VELASCO /colômbia

LORENA VELASCO.jpg

Lorena Velasco [Colômbia] é uma das leitoras de portfólios do I Festival de Fotógrafas Latinoamericanas.
Fotógrafa documental colombiana. Seu trabalho se caracteriza por ser introspectivo, baseado na abstração de questões culturais e familiares. A sua obra fotográfica apresenta-se a partir de diferentes reflexões: sobre território, identidade e memória, desde a afetiva, documental e simbólica, onde costuma recorrer ao arquivo fotográfico, aos objetos, às emoções e ao corpo para trabalhar um olhar pessoal sobre o ambiente. Suas séries fotográficas e projetos autorais são a materialização de imaginários e a experiência visual de suas pesquisas. Cofundadora da Fotógrafas Latinoamericanas (Fotógrafas Latam), uma fundação dedicada à visibilidade, treinamento e promoção de fotógrafas latinoamericanas emergentes.

Foto: Gentil Barreira

Loruhama Guerrero Mirabal/Argentina

Retrato de Loruhama GM por Ernesto Ferna

Nascida em Mendoza (Arg 1982) Artista Visual Ensaísta. Fotógrafa-Cineasta. Docente. Pesquisadora na área dos arquivos familiares e de arquivística, de uma perspectiva cartográfica - corpórea e afetiva. É também membra da equipa de trabalho da “Feria Independiente de Fotolibros de Mendoza”, um espaço de encontro, formação e exposição em torno do livro de fotografia de autor e fotolivros (Arg.2016). Co-Fundadora do espaço “Portón Espacio Taller” (Arg. Chile 2018-2021, instituição que promove os processos criativos da obra, investigação visual, gestão - ação cultural e residência artística.
O seu trabalho tece uma forte ligação a temas do corpo, território, memória e identidade, a partir de uma prática ensaística e instalação/colecionismo e herbalismo. Tem trabalhado na expressão corporal no movimento Butoh desde 2015. Como artista, expôs colectiva e individualmente em galerias na Argentina e no Chile. Tem publicações na revista Colectivo Mafia, Arde Colectivo, El Ojito Diario de arte contemporânea. Exposição coletiva em Espacio de la Memoria antigo Esma(Arg.2018) O seu trabalho foi selecionado para o Salón Vendimia (Arg.2018) Participa no campo do cinema e do documentário desde 2009. Trabalha como professora desde 2014, onde iniciou as suas práticas curatoriais. Foi curadora da exposição individual Colores del Oxido, Sala Sachero no ECA Espacio Contemporáneo de Arte (Arg.2015) Trabalha atualmente como curadora independente de projetos de autogestão. Desde 2015 ela acompanha os processos criativos e o desenvolvimento da obra, cartografia e trabalho de site específico. Reside no Chile, onde continua a sua última investigação relacionada com o seu arquivo pessoal e o mar.

Foto: Ernesto Fernandez

maíra gamarra /brasil

maira.jpg

Maíra Gamarra é fotógrafa, curadora, editora, produtora cultural e pesquisadora brasileira. Bacharel em comunicação social/fotografia e mestra em Estudos Latino-Americanos (UNILA/Foz do Iguaçu/PR). Foi Coordenadora de Operações do Museu Paço do Frevo (Recife/PE) e gerente de projetos na Art.Monta Design (Recife/PE), especializando-se na elaboração, gestão e montagem de projetos, eventos e exposições artísticas. É curadora do Mira Latina, laboratório de acompanhamento de projetos, onde desenvolve mentorias, pesquisas e intercâmbios com fotógrafas e fotógrafos da América Latina. É cocriadora e cocuradora do coletivo 7Fotografia e do festival Mesa7. É uma das coordenadoras do Grupo de Estudos Imagens e Feminismos - GIF e atua como pesquisadora convidada no projeto Redlafoto, do Centro de Fotografia de Montevidéu (Uruguai).

MARCIA MELLO /brasil

Marcia Mello - Galeria Tempo.jpeg

Marcia Mello é bacharel em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pesquisadora, curadora e conservadora de fotografia. Prestou serviços para instituições públicas e privadas como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1986/1997), o Centro de Conservação e Preservação Fotográfica da FUNARTE (1987/1997) e o Arquivo Nacional (2003/2005). De 2006 a 2015 foi diretora-curadora da Galeria Tempo (RJ).

Tem participado regularmente como leitora de portfólio nos diversos festivais de fotografia realizados no Brasil e organizado debates em torno da fotografia.

vicky ismach /uruguai

IMG_8058.jpg

É coordenadora da área curatorial do Centro de Fotografia de Montevidéu (CdF). Faz parte da equipe de direção e produção do Festival Internacional San José Foto (San José, Uruguai). Trabalhou como assistente de curadoria no Verzasca Foto Fest (Verzasca, Suíça, 2018). Integrante do coletivo Polenta, projeto editorial autogerido de divulgação da fotografia local. Trabalha em projetos relacionados com a imagem fotográfica na encruzilhada entre arte, curadoria e educação.